Saiba como escolher materiais de construção corretamente

14 de Maio de 2018
Você sabe que o sucesso de uma obra, de grande porte ou uma simples reforma, depende de vários fatores. Entre os
mais importantes, pode-se destacar a escolha do material de construção.
Assim, aspectos como aparência, durabilidade e segurança que caracterizam a qualidade da obra são todos resultantes
de uma boa seleção de materiais realizada antes da construção. Por isso, você deve sempre considerar com especial
atenção a escolha que fizer desses componentes.
Para se sair bem nessa empreitada, continue neste post e veja 5 dicas sobre como escolher materiais de construção
corretamente!
 
1- Conhecimento do projeto
 
Para se poder avaliar o material mais adequado é necessário que se tenha um bom entendimento do projeto da obra. As
sim, estão envolvidos diretamente nessa avaliação, entre outros:
- A concepção inicial (como se quer a obra);
- A resistência necessária em cada setor;
- A durabilidade esperada;
- A segurança;
- A estética (aparência) no resultado.
De posse dessas informações analisadas a partir do projeto, podem ser considerados os componentes e materiais mais
adequados para sua realização.
 
2- Custos envolvidos
Ainda que a referência principal para os custos seja o orçamento da obra, despesas futuras com necessidades de
manutenção, substituição e reparo em razão da durabilidade de alguns produtos devem ser consideradas. Dessa forma,
não deixe de observar, principalmente:
- O preço do material;
- O preço do frete;
- A manutenção futura;
- A necessidade de substituição;
- Os custos ambientais resultantes da utilização do material.
 
3- Ciclo de vida
O ciclo de vida do material, isto é, o tempo em que ele permanece em condições adequadas para sua utilização pode
fazer diferença na definição das quantidades compradas, entre outras. Esse cuidado se refere também à durabilidade
do produto após ser incorporado à estrutura da obra.
Assim, cimento e areia, por exemplo, não devem ser estocados em grandes quantidades que exijam armazenamento por
muito tempo. Como costumam empedrar, podem ocorrer perdas significativas, além de redução na qualidade, depreciando
assim o resultado.
Por sua vez, materiais como telhas, blocos e tijolos não devem apresentar fissuras, pois reduzirão sua durabilidade,
tanto quando ainda no canteiro de obras durante o manejo, como posteriormente já utilizados ou instalados. Assim,
esses aspectos devem ser levados em conta junto ao cronograma da obra.
 
4- Sustentabilidade do material
Sempre que possível, quando for escolher os itens que utilizará, dê preferência por materiais que possam ser 
reciclados, reaproveitado ou reutilizado posteriormente. Essa é a principal estratégia de sustentabilidade, isto é,
de cuidado ambiental na construção civil.
Nesse sentido, quando for pertinente, considere também optar por aqueles materiais que exigem menos recursos 
naturais para a sua produção e que depois podem ser reciclados.
 
5- Material fora de linha
No caso de material fora de linha ou de ponta de estoque, deve ser dada especial atenção às louças sanitárias, 
pisos e material de acabamento, entre outros. Embora seu atrativo principal seja o preço reduzido, o barato pode
sair caro nesses casos.
É necessária uma boa e prévia avaliação dos riscos envolvidos nessas aquisições, sobretudo levando-se em
consideração as futuras necessidades de reposição. Quando isso ocorre, a dificuldade de obtenção de material
novo costumeiramente constitui a regra e assim as despesas se apresentam bem elevadas.
  • Estrada Itacolomi, 3005 - São Vicente - Gravataí/RS